BUSCAR
Twitter
Twitter
Instagram
Facebook
 
CENTRO DE APOIO AO
ESCRITOR
AGENDA CONCURSOS CIRCUITOS OFICINA ONLINE REVISTA GRAFIAS ANUÁRIO DE POESIA PEQUENO MANUAL
DO ESCRITOR
CLIPE DICAS DE LEITURA MURAL LITERÁRIO CADASTROS

MURAL LITERÁRIO

Partida
Efêmero déjà vu da manhã de ontem.
Mãos para o alto.
Pernas abertas pra não cair.

Penduramento de gente viva.
Muita mão suada deslizando vidro.
Rachado em dias quentes, inundado
por chuvas altas. Pernas correndo.

Não balança. Trem é balança.
Ninguém cai, a multidão esmaga antes.
Tem até quem durma em pé, com a ponta
do dedinho apertado na ferrugem, fingindo
equilíbrio com sapatos amassados.

Mas a vida, a vida tá rondando a pressa.
A vida tá na corrida até a porta, na
bolsa grudada, no banco brigado a
socos e pontapés, nas mãos calejadas,
no salto agulha, na água, no amendoim,
no salgadinho pisoteado, na voz
distante do maquinista – um vão
vazio que separa o povo do vagão.

Jéssica Moreira / CLIPE Poesia 2020, do seu Livro "VÃO: trens, marretas e outras histórias” (Pa
CASA DAS ROSAS
ESPAÇO HAROLDO DE CAMPOS DE POESIA E LITERATURA
+55 (11) 3673-1883 contato@casadasrosas.org.br
Av. Paulista, 37 Bela Vista CEP 01311-902 São Paulo Brasil
HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO MUSEU
[Fechado para restauro]

Jardim da Casa das Rosas: De segunda a Domingo, das 7h às 22h.
Governo do Estado de São Paulo
TRABALHE CONOSCO COMPRAS E CONTRATAÇÕES RELATÓRIO DE ATIVIDADES CONTRATO E GESTÃO SECRETARIA DA CULTURA MAPA DO SITE

Este site utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.
Consulte sobre os Cookies e a Política de Privacidade para obter mais informações.

ACEITAR